Este não é um texto teológico ou uma exposição bíblica sobre a integridade cristã. Nem tão pouco tenciono aqui criar mais uma obra a respeito de liderança sob um ponto de vista empreendedor e de resultados. É um simples convite para que você possa sentar-se por um momento em uma confortável poltrona e pensar comigo por algumas horas sobre os valores e presente estado de sua própria vida.

Você não lerá aqui sobre estratégias de liderança, mas sim sobre os valores da alma. Recolheremos-nos por algumas horas da vida pública e debruçaremos sobre a particular e pessoal. Deixaremos neste tempo o palco e olharemos para os bastidores. E ali pensaremos juntos sobre a integridade em nossas vidas e na liderança que exercemos.

Estes capítulos se baseiam mais nos meus anseios e esperanças do que em meus acertos e realizações.  E assim, em uma conversa sincera e amiga, gostaria de lhe chamar a abrir o seu coração, tratar de si mesmo, pesar a sua alma e deixar fluir em suas veias o amor do Pai.

Na busca pela integridade talvez a oração mais marcante na Palavra tenha sido proferida pelo salmista quando clamou: “Sonda-me ó Deus, e conhece o meu coração: prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno” . Ela reconhece a nossa incapacidade de autoconhecimento, portanto, precisamos de Deus para nos sondar. Reconhece também a incapacidade humana em discernir os caminhos, ou fazer a escolha certa entre o caminho mau e o caminho eterno. Precisamos de Deus para nos guiar. Ela expressa as áreas da vida onde a luta se trava. Não nos palácios ou nas ruas, mas no coração e nos pensamentos. Precisamos de Deus para nos provar. “Guia-me pelo caminho eterno” deve ser o nosso pedido a cada nova manhã.

As primeiras linhas e o esboço deste livro surgiram a partir da preocupação que tenho tido com homens e mulheres que, ao buscarem com ânsia o reconhecimento público ou as realizações humanas, se encantaram com aquilo que não sacia a alma nem alimenta o coração. Com isto se distanciam a cada dia de um tesouro insubstituível, a integridade.

Observando a cíclica evangélica brasileira podemos perceber processos de coerção social sobre a liderança eclesiástica levando-a a valorizar mais os resultados do que a fidelidade, prestigiando mais os títulos que a intimidade com Deus, pagando mais pela eloqüência do que pela integridade. Estes são processos nocivos que mancham a alma, entristecem a vida e geram modelos equivocados de liderança que, infelizmente, serão seguidos.

George Barna reconheceu este desafio em sua vida quando afirmou: “tire a minha integridade e terei pouco a oferecer como um representante  de Cristo, como um analista da cultura americana, como um pai de duas crianças pequenas e como um líder na minha igreja”  .

Este livro é, portanto, uma simples contribuição para irmãos e irmãs que a cada dia lutam por uma vida autêntica e, remando contra a maré,  desejam mais do que apenas construir uma boa reputação. Desejam ter o caráter de Cristo. Meu desejo e oração é que estas linhas falem ao seu coração como falaram ao meu.

Ronaldo Lidório

 

Clique aqui para ler o capítulo 1 do livro

.